Untitled Document
Bom dia, 27 de jan
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Povos originários

Terça-feira, 30 de Novembro de 2021

 
     

Mbya Guarani retoma área de terra em Canela, Rio Grande do Sul

  

As lideranças aguardam a presença de integrantes do Conselho Estadual dos Povos Indígenas (CEPI), da Funai, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e também do Ministério Público Federal

  

CIMI    
Retomada em Canela, RS


Por Cimi Sul-Equipe Porto Alegre*

Na manhã de 29 de novembro de 2021, um grupo de Mbya Guarani retomou uma área de terra transformada em espaço de preservação ambiental permanente pelo Estado do RS, fato que se deu na década de 1940, em função da implementação de pequenas barragens naquela região. A área estava sob o controle da Companhia de Energia Elétrica do Estado do Rio Grande do Sul ( CEEE) recentemente privatizada.

A terra retomada localiza-se no município de Canela, Serra Gaúcha e possui mais de 700 hectares. É bastante preservada, rica em florestas e tem água em abundância, que brota da terra e das encostas dos morros.

O local escolhido pelos Mbya Guarani para a fixação da comunidade fica nas proximidades da Barragem "Bugres".  Tal empreendimento tem a função de realizar a transposição de águas das bacias do Rio Caí para o Rio Paranhana.

O nome dessa barragem é revelador acerca de quem foi expulso da região para a sua instalação. É importante recordar que os indígenas, de forma preconceituosa e pejorativa, eram denominados, pelos colonizadores, de bugres.

As oito famílias dos Mbya Guarani foram conduzidas, de acordo com relatos de Seu Agostinho Morinico, Karaí - líder religioso do povo - por Nhanderu, Deus, que guia e acompanha seu povo em todas as jornadas da vida terrena.

As lideranças aguardam a presença de integrantes do Conselho Estadual dos Povos Indígenas (CEPI), da Funai, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e também do Ministério Público Federal, no sentido de se estabelecer um processo e diálogo para assegurar a manutenção deles na área, prever o acompanhamento e assistência às famílias, já que no grupo há crianças e pessoas idosas e que se proceda os estudos para identificação e delimitação da terra para o usufruto exclusivo da comunidade.

Os Mbya Guarani desejam contar com o apoio de outras comunidades indígenas, com entidades e grupos de solidariedade às causas que nos unem a todos, especialmente os direitos à vida e à terra.
 

 

*Conselho Indigenista Missionário

 

 

 

 


 

Cimi Sul-Equipe Porto Alegre - EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008