Untitled Document
Boa noite, 03 de fev
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Desmatamento

Segunda-feira, 03 de Setembro de 2012

 
     

Ibama embarga desmates e fiscaliza o cultivo de soja no Pará

  

Localizados na nova fronteira agrícola do Pará, Dom Eliseu e Ulianópolis cresceram no ranking do desmatamento em 2012, segundo dados do sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter).

  

Desmate ilegal para plantação de soja


Por Nelson Feitosa - Ibama/ Pará

O Ibama embargou 4,1 mil hectares de desmatamentos ilegais e aplicou R$ 29,7 milhões em multas, em duas semanas de fiscalização, em Dom Eliseu e Ulianópolis, no sudeste do Pará. Na ação, o instituto apreendeu seis motosserras, um caminhão e seis tratores envolvidos na degradação das áreas de floresta. Os agentes ainda fecharam quatro carvoarias clandestinas e destruíram 270 fornos que produziam carvão ilegal na região.

Empresas de compra e venda de grãos também foram notificadas a apresentar ao Ibama a relação de fornecedores e as entradas de soja e milho de 2012. O instituto quer fiscalizar a origem das áreas onde os produtos foram cultivados nos dois municípios. O objetivo é impedir que o crescimento da área agrícola implique também em aumento nos desmatamentos não autorizados. "Vamos identificar quais empresas estão comprando soja e milho de áreas ilegalmente desmatadas e embargadas. Quem não comprovar a origem legal dos produtos que adquire poderá ter os grãos apreendidos", explica o coordenador da operação Labareda, o analista ambiental Lucivaldo Serrão.

Retorno à lista negra - Localizados na nova fronteira agrícola do Pará, Dom Eliseu e Ulianópolis cresceram no ranking do desmatamento em 2012, segundo dados do sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Em agosto, até o dia 17, Dom Eliseu havia devastado cerca de 1,3 mil hectares de vegetação nativa (1,7 mil hectares no acumulado desde janeiro) enquanto Ulianópolis destruiu mil hectares (1,4 mil hectares no ano).

As duas cidades do sudeste paraense vinham acumulando quedas sucessivas nos índices de desflorestamento. Conquistas ambientais, como o aumento expressivo no número de propriedades inscritas no Cadastro Ambiental Rural, levaram com que Ulianópolis deixasse de figurar, este ano, na lista dos municípios que mais desmatam do Ministério do Meio Ambiente, onde estava desde 2008. Foi o segundo município no Pará a ser retirado do ranking, junto com Santana do Araguaia, depois da saída de Paragominas em 2010. Antes do aumento nos desmates, Dom Eliseu se preparava para protocolar o pedido para ser excluído da lista. "Estamos intensificando a fiscalização para auxiliar os municípios a manter as conquistas ambientais, e impedir qualquer retrocesso. Mas é preciso que os esforços locais continuem, para manter Ulianópolis fora da lista, e garantir a regularidade ambiental", afirma o superintendente do Ibama no Pará, o analista ambiental Hugo Américo.A operação Labareda continua na região de Dom Eliseu e Ulianópolis, sem prazo para se encerrar.

Ibama/EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008