Untitled Document
Boa tarde, 09 de dez
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Contaminação química

Segunda-feira, 26 de Novembro de 2012

 
     

Rhodia tenta descartar material tóxico na Bahia e população reage

  

Os resíduos são contaminados por substâncias organocloradas como o pó da china (pentaclorofenato de sódio) e o hexaclorobenzeno, comprovadamente cancerígenas.

  

Fábrica da Rhodia em Cubatão foi desativada


Por Daniele Silveira - Radioagência NP

População baiana e parlamentares se mobilizam para impedir que toneladas de resíduos tóxicos armazenados pela multinacional Rhodia em terrenos de Cubatão (SP) sejam levados para o município de Camaçari (BA). De acordo com a Agência Brasil, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) de São Paulo e o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) da Bahia autorizaram o envio do material contaminado para serem incinerados pela empresa de soluções ambientais Cetrel Lumina.

Os resíduos são contaminados por substâncias organocloradas como o pó da china (pentaclorofenato de sódio) e o hexaclorobenzeno, comprovadamente cancerígenas. O advogado da Associação das Vítimas da Contaminação de Chumbo, Cádmio, Mercúrio e outros elementos químicos, Marcos Mendonça, ressalta que a população baiana não pode pagar pela irresponsabilidade causada pela empresa.

“Onde nós já temos um ambiente relativamente degradado por conta do pólo petroquímico, nós vamos ter agora o descarte de dioxinas, que é conhecida como “molécula da morte”, causa câncer e todo tipo de problema. Então, não podemos permitir que isso seja feito aqui na Bahia. Nem produzido aqui foi. O que a população baiana tem a ver com isso?”

Mendonça também destaca a preocupação quanto a capacidade do incinerador queimar com segurança o material contaminado. “A queima é em torno de 20% a 30% do produto, diminui a toxicidade dele, mas ainda sim fica o resíduo perigoso, tóxico, entorno de 60 a 70% do produto que vem. E esse resíduo vai para onde?” O advogado ainda aponta que a tentativa de levar o material para ser reprocessado em outro local acontece porque a queima dos resíduos excede os índices de emissão de poluentes permitidos em São Paulo.

Radioagência NP/EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008