Untitled Document
Boa tarde, 03 de fev
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Cidades

Domingo, 09 de Setembro de 2012

 
     

Lixão de 31 cidades poderá afetar comunidades próximas ao novo aterro de Samambaia

  

A comunidade tem uma Associação Comercial dos Comerciantes da Expansão de Samambaia, e vários comerciantes já se mobilizaram e reclamam da atitude do governo.

  


Por Sugestão de Pauta Assessoria de Imprensa e Marketing

A comunidade de Samambaia (DF) aguarda um posicionamento da Câmara Legislativa quanto a decisão da cidade em receber lixo de 31 regiões administrativas e destruir de vez o Parque Ecológico Gatumé, que estaria abandonado pelos deputados. Várias ações foram feitas por Edvaldo Ferreira, que preside a Sociedade dos Moradores e Amigos da Expansão de Samambaia. Foi ele quem colocou placas no local e mobilizou as crianças para plantar árvores na área que está abandonada pelos deputados distritais e pelo governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. “Eu fico indignada em saber disso. Por que não jogam o lixo de cada cidade em seu aterro próprio? Samambaia não merece este abandono por nossos representantes, que não estão nos representando.”, destaca Maria Coelho, líder comunitária da região.

Os comerciantes da Expansão de Samambaia também relutam contra a decisão. A comunidade tem uma Associação Comercial dos Comerciantes da Expansão de Samambaia, e vários comerciantes já se mobilizaram e reclamam da atitude do governo. São mais de 100 unidades comerciais que serão prejudicadas com o “odor”, com os “bichos” que irão para região, e, de imediato, todos os terrenos ao redor e os comércios serão desvalorizados.

Como anda o processo

A Adasa assinou contrato com a empresa Geotec para fornecer apoio técnico à equipe da Superintendência de Resíduos Sólidos (SRS) na elaboração do termo de referência para construção e operação do aterro sanitário da Samambaia, que substituirá o lixão da Estrutural. O edital será publicado nos próximos 60 dias, definindo os critérios para a construção do novo aterro sanitário, que garantirá a disposição correta dos resíduos sólidos do DF.

O nome da cidade surgiu devido ao fato do córrego Samambaia ser rodeado por plantas samambaias.

Veja no vídeo http://www.youtube.com/watch?v=OSab-uTReK4&feature=player_embedded

O novo aterro sanitário fará divisa com o Parque Ecológico Gatumé e com o Córrego Samambaia e Melchior. Além disso, com toda comunidade da expansão de Samambaia, que contabiliza mais de 30 mil moradores.

 

EcoAgência Solidária de Notícias Ambientais

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008